No artigo de hoje, vou abordar alguns conceitos sobre o impacto do uso das tecnologias por crianças nas estratégias de vendas no e-commerce e, a relação com a mudança de comportamento das crianças na atualidade.

E-commerce pode ser traduzido como comércio eletrônico. Ou seja, consiste em uma loja virtual e deve faturar R$1,9 bilhão no Dia das Crianças em 2018, alta de 9% ante o mesmo período de 2017 de acordo com o ecommercenews.com.br.

Que as crianças abandonam as bonecas, carrinhos e brincadeiras ao ar livre cada vez mais cedo já não é novidade, e também não é novidade o fato de que são inseridas no meio digital desde bem pequenos. Pensando nessa mudança de comportamento, muitas lojas virtuais estão adaptando o seu conteúdo para atrair o público infantil. A estratégia não é mais atingir a família e sim os pequenos. Apesar de não serem os compradores, as crianças têm um grande poder de influência sobre as compras dos adultos. 

Uma pesquisa divulgada pelo Ibope apontou que as crianças brasileiras são as que passam mais tempo conectadas à Internet. Os pequenos internautas, com idade entre 2 e 11 anos, permanecem online por cerca de 60 horas por mês, uma média de 2h diárias. E, de acordo com a pesquisa muitos pais relatam que vídeos online têm estimulado os filhos a comportamentos estranhos, como de querer consumir produtos alimentícios de valor nutricional duvidoso, e de demandar mais e mais brinquedos, depois de assistirem vídeos em que brinquedos são abertos e explorados, os chamados vídeos de unboxing. Sendo assim, é possível traçar estratégias de venda pela internet que alcance os pequenos.

O direcionamento de publicidade ao indivíduo com menos de 12 anos é proibido no Brasil, de acordo com o disposto no artigo 227, da Constituição Federal de 1988; no Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei no 8.069/1990); e, notadamente, no artigo 37, §2° do Código de Defesa do Consumidor (Lei no 8.078/1990), que caracteriza como abusiva a publicidade que “se aproveite da deficiência de julgamento e experiência da criança”.

O dia das crianças trás à tona o clima de diversão e brincadeira, mas toda estratégia de venda e publicidade direcionada as crianças precisa ser ética e responsável. Porém com as estratégias corretas seu e-commerce pode aumentar as vendas e atingir um público que apesar da pouca idade e tamanho, já sabe muito bem o que quer.

As empresas já entenderam que se comunicando com as crianças conseguem se comunicar com os adultos, mas não é válido qualquer tipo de comunicação. Apelo imperativo de consumo, associação a comportamentos inadequados, estímulo a hábitos não saudáveis e ao consumismo são ótimos exemplos do que não deve ser apresentado para o público infantil. Vale ressaltar que, se souber de alguma campanha que desrespeita as normas acima, você pode denunciar ao CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária).

Use a tecnologia a seu favor e tenha profissionais capacitados para auxiliarem a sua empresa a alavancar as vendas, seja em datas especiais como o dia das crianças, ou a qualquer época do ano .

Nós podemos te ajudar!

Seja você também digital!

Magali Neves Pereira