As contas estão vencendo, e você está sem caixa para quitá-las?

Não consegue entender porque isso está acontecendo, pois seu faturamento está aumento mês a mês e mesmo assim parece que as coisas não se encaixam?

O seu problema pode ser fluxo de caixa!

O fluxo de caixa, além de ser uma demonstração contábil, é um instrumento de gestão financeira, que nos permite enxergar em que períodos de tempo está entrando e saindo recursos da empresa, indicando como será o saldo de caixa e equivalentes (bancos) no período analisado.

De fácil elaboração para empresas que tem seus controles financeiros organizados, o fluxo de caixa pode ser utilizado tanto para olhar a realidade da empresa quanto para análise de períodos futuros bem como um parâmetro e instrumento para tomada de decisões.

Por possibilitar esta visão de presente e futuro, torna-se uma excelente ferramenta para avaliar a disponibilidade de caixa da empresa e antecipar algumas ações preventivas como por exemplo: redução de custos, adiantamento de pagamento de empréstimos, negociação de prazos com fornecedores, decisão sobre investimentos e outras medidas para que possíveis dificuldades financeiras sejam amenizadas ou evitadas.

FLUXO DE CAIXA POSITIVO

Ocorre quando, na análise das entradas e saídas futuras verificamos que existem mais valores para serem recebidos do que para pagar. No entanto é preciso cautela, pois estamos falando em recebimentos futuros, então existem fatores que não controlamos capazes de distorcer um pouco os resultados, como por exemplo a inadimplência e rescisão de contratos.

FLUXO DE CAIXA NEGATIVO

Ocorre quando, na análise das entradas e saídas futuras verificamos que existem mais valores para serem pagos do que para receber. Algumas atitudes podem ser tomadas antes deste fluxo negativo acontecer, como por exemplo promover ações de marketing para aumentar as vendas.

 

EXEMPLOS DE FLUXOS DE CAIXA

 

FLUXO DE CAIXA MÉTODO DIRETO

É o método mais comum, genérico e mais utilizado pelas empresas por registrar os recebimentos e pagamentos das atividades operacionais considerando o seu valor bruto, sem realizar qualquer desconto. Neste método as informações são organizadas em classes de acordo com sua natureza contábil ou financeira. Exemplo: clientes, fornecedores, tributos, etc.

Sua principal vantagem é permitir que as informações de caixa fiquem disponíveis diariamente.

FLUXO DE CAIXA MÉTODO INDIRETO

Este método é mais complexo que o direto pois parte de informações oriundas da apuração de lucros e prejuízos, apontados no DR (demonstração de resultado) e requer do usuário um conhecimento contábil um pouco maior pois necessita de ajustes de itens tratados contabilmente como despesas em determinada competência, mas que não envolvem saída de recursos, como por exemplo: amortização, provisões e variações nas contas patrimoniais.

Para realizar o fluxo de caixa pelo método indireto o gestor não precisa ter um controle do seu fluxo. Pode ser realizado para os casos onde as empresas sem controle do seu financeiro desejam iniciar tais controles. Ele utiliza os saldos do balanço patrimonial no início e no final do período escolhido. Apesar da facilidade para calcular, este método não é tão preciso, uma vez que depende de outras informações do balanço patrimonial que podem estar distorcidas.

 

FLUXO DE CAIXA PROJETADO

Cálculo realizado com base em uma estimativa que permite ao gestor tomar uma decisão mais assertiva acerca de investimentos futuros, com base nos resultados que serão obtidos. O que na prática é feito, é a análise dos pagamentos e recebimentos atuais e a média destes valores é projetada para construir uma visão de futuro do negócio levando em consideração que ele permanecerá se portando da mesma forma. É necessário tomar cuidado com as sazonalidades nas vendas para não distorcer os resultados. A principal vantagem é o planejamento para expansão futura dos negócios.

 

FLUXO DE CAIXA DESCONTADO

É um cálculo utilizado no processo de compra e venda de empresas que determina o valor de uma empresa, a fim de avaliar o retorno do capital que será investido na transação. Utiliza, assim como o fluxo de caixa projetado uma média futura de recebimentos, sendo que acrescenta-se as saídas de recursos uma taxa ou valor fixo de desconto para retorno do capital investido.

Cada fluxo é calculado de acordo com uma necessidade específica em determinado momento da empresa. Com um bom controle de contas a receber e de contas a pagar, é possível realizar esta análise!

Muitas decisões podem ser tomadas a nível gerencial com base no fluxo de caixa como por exemplo: troca de datas de vencimento dos seus clientes e data de pagamento de fornecedores, ações de marketing, investimento em vendas, compra de novas companhias etc.

Conhecer sua empresa, é o primeiro passo para um planejamento de sucesso. Se você deseja expandir seus negócios, precisa dar passos seguros e tomar decisões apoiadas em dados concretos que refletem a realidade de sua empresa, caso contrário poderá perder muitos recursos e corre o risco de ter que começar tudo novamente.